18/01/2017

"Tudo que nosso drama emocional precisa é não ser incentivado de forma alguma" - Tá todo mundo mal

Oi oi gente, como vocês estão?? Eu voltei com mais uma resenha amorzinho de um livro maravilindo 😍 o livro que a gente vê nossas crises no papel e é tão bom ver que alguém sofre da mesma crise né? Enfim, vamos pra resenha que é mais fácil que ficar falando aqui não é mesmo??


Título: Tá todo mundo mal
Autora: Jout Jout
Editora: Novo Conceito
Páginas: 200
Ano: 2016
Sinopse: Skoob
Classificação: ✰✰✰✰✰

Jout Jout pra quem não conhece, é uma mulher maravilhosa que resolveu falar de assédio em um vídeo no YouTube há dois anos atrás (eu acho, não lembro ao certo) e foi um vídeo que estourou! Geral compartilhando, falando sobre o assunto e até dando depoimentos de assédio que já tinham sofrido.

Depois do estouro desse vídeo e dos outros que ela foi colocando, nada melhor do que ela colocar alguns pensamentos no papel e compartilhar com a "Família Jout Jout", é como ela chama os fãs dela. Só que a Jout Jout não sabia sobre o que escrever, ficou pensando, pensando e quando de repente, em meio a uma crise, ela resolveu falar delas.

Isso mesmo, é um livro CHEIO das crises. De crises que você já pode ter sofrido, de crises que você pode vir a sofrer. Teve várias que eu me identifiquei. A crise de ser amada/odiada demais, a crise hereditária, a crise das histórias do meu pai e a PRINCIPAL crise que me identifiquei, A CRISE DO MEDO DE CRÍTICAS.

Esse livro faz a gente se sentir melhor (ou pior) por saber que não somos os únicos a ter crises existenciais, crises de ansiedade ou apenas uma crise por não conseguir algo. Nos mostra que todos somos humanos, que todos temos essas coisas horríveis e que podemos lidar com isso.

No livro, Jout Jout termina falando assim:

"O que importa no final é que este é um livro especial, escrito por uma pessoa especial, para você pessoa especial, ambas filhas de pessoas também especiais, que certamente fizeram, elas também, coisas bem especiais."

O que significa que independente das suas inúmeras crises, você consegue tirar algo especial delas e aprende a lidar com elas, o que é a melhor parte. Não se esqueça, você é uma pessoa especial, não importa o que digam ou o que pensem, você tem algo de especial e é algo único, só seu.

E vocês, já leram o livro da Jout Jout?? Se não leram, corram pra ter, porque é MA-RA-VI-LHO-SO.
Um cheiro, um beijo e até o próximo post.

Não esqueça de me acompanhar nas redes sociais

10/01/2017

Desesperada para viver.

Fonte: Tumblr

Como foi que tudo entre nós começou mesmo? Se não me engano foi pelo meu desinteresse em Game Of Thrones e sua fissura pela mesma. Juro que tentei assistir, mas sabe como é, muitas mortes e meu estômago não curtiu muito.

Tentou me convencer a assistir, passamos meses nos falando, aturei ouvir sobre sua ex, sobre a atual e até ajudei a escolher roupa para sair com ambas. Você me chamou pra te fazer companhia, depois de um tempo sem nos falar, nem imaginava o que poderia acontecer. Sentamos e ficamos conversando durante duas longas horas, que passaram voando.

Falamos mais de você, como sempre. Do seu curso, das suas vontades, suas manias e eu, apesar de só ficar concordando, gostava de ouvir. Te conhecer mais, mesmo que para você parecesse só mais um papo de "amigos-que-não-se-viam".

Entre uma virada de olho e um "como você é chata e fresca" eu te pegava me encarando, olhando mais afundo do que eu podia imaginar que era possível. Um abraço, um beijo no rosto e um até logo, era o fim. A cada duas semanas isso começou a se repetir e eu não sabia como lidar. Eu contava para algumas pessoas e diziam "se faz de difícil", comigo não tem essa de joguinho.

Poderia passar todas as minhas tardes falando com você na praça de alimentação, mesmo depois de ter sido ignorada por mensagem. Isso não é ser fácil e nem carente, no máximo desesperada. Desesperada para viver, para ter momentos intensos e histórias, como essa, para contar. Se você pensasse assim, talvez hoje, eu estaria sentada novamente conversando com você ao invés de transformar tudo isso em um texto.

Texto escrito por
Beatriz França.

Não esqueça de nos acompanhar nas redes sociais

06/01/2017

"Ninguém tem o poder de controlar o futuro e o que ele vai trazer para a gente" - 360 dias de sucesso

Oi oi gente, como vocês estão? Eu to bem, to começando o ano com posts que eram pra ter saído ano passado? Com certeza! Mas me perdoem e vamos começar 2017 com tudo! No último "Li até a página 100" eu falei sobre o livro da Thalita Rebouças (e ela me respondeu no twitter falando que tava ansiosa para que eu terminasse o livro logo). Atendo aos pedidos dessa maravilhosa pessoa, vim trazer a resenha desse livro maravilhoso hoje!


Título: 360 Dias de Sucesso
Autora: Thalita Rebouças
Editora: Rocco Jovens Leitores
Páginas: 296
Sinopse: skoob
Classificação: ✰✰✰✰✰

Dois amigos de infância, um pai super animado e um sonho de ser famoso. Foi baseado nisso que tudo começou. Pedro o filho de Paulão, que é o pai super animado, estava levando um som no quarto com o amigo Theo quando Paulão acha um máximo a sintonia dos dois e já começa a se empolgar. Pensa em estúdio, em sucesso, carreira, mas além disso tudo na felicidade dos dois.

Só que não sei vocês, uma banda só com voz e violão não é uma banda certo né? Só quem consegue fazer sucesso assim é Tiago Iorc (beijo Ti) e foi ai que mais três pessoas entraram na parada e virou uma banda REAL OFICIAL.

O baterista que escrevia música, o vocalista que não sabia cantar, o baixista que só queria pegar "muié", o guitarrista traidor e a tecladista/segunda voz que tava ali com o intuito de ter grana e realizar um sonho MESMO. Uma banda de adolescentes que todo mundo achava que não sairia dos covers ou da primeira musica que virou hit.

Para tristeza de uns e alegria de outros, A BANDA DEU CERTO. Eles começaram a ganhar dinheiro, começaram a fazer um baita sucesso e olha, subiu a cabeça. Infelizmente. Mas pra saber como esse sucesso prejudicou uns e ajudou outros, vocês vão ter que ler.


Sabe o jeito animado que a Thalita tem e a gente só vê na TV ou em vídeo? Ela transmite isso na escrita também. Me envolvi tanto com a história da banda que durou um ano, com as coisas que foram acontecendo que eu ficava surpresa. Peguei pra ler o livro num dia e no outro já estava no finalzinho.

Quem conhece o meu estilo literário sabe muito bem que eu amo esses livros que me envolvem rapidamente... E esse foi um livro que me ganhou por conta disso e por ter uma história fora do que eu estou acostumada a ler.

E vocês, já leram? O que acharam?
Me contem!

Beijos e até o próximo post.

Não esqueça de nos acompanhar nas redes sociais